As crianças e a obesidade

Para refletir, conversamos com nossa parceira, a Cardiologista Pediátrica Dra Fabiane Berruezo Barbosa, sobre este problema de saúde pública tão sério.

A alimentação saudável é gostosa, colorida e divertida!
Uma alimentação saudável deve ser gostosa, colorida e divertida!

“A obesidade, o excesso de gordura no corpo humano, atualmente é a doença de maior epidemia da história da humanidade.

É uma doença que está cada vez mais frequente e a sua prevalência tem aumentado com muita rapidez entre as crianças.

O tratamento da obesidade é muito difícil e exige uma dimensão muito maior do que um esforço pessoal. É quase impossível uma criança obesa vencer esse desafio sem a ajuda e comprometimento de toda a família.

Nem sempre os pais ou responsáveis se atentam que as crianças estão acima do peso adequado para sua idade e altura.

No Brasil, a prevalência de excesso de peso nas crianças em idade escolar do sexo masculino é de 34% e de obesidade 16%, enquanto no sexo feminino é de 32% e 11% respectivamente, segundo dados do IBGE. Estudos mostram que entre 40 e 80% das crianças com obesidade na infância serão adultos obesos.

A obesidade é fator de risco para diabetes do tipo 2 e doenças cardiovasculares como infarto agudo do miocárdio e AVC(derrame). Estas doenças que no passado acometiam quase que exclusivamente adultos de meia idade idosos e hoje em dia devido aos maus hábitos atingem crianças e adolescentes.

A melhor forma de combater todos esse males é a prevenção, alimentação saudável, atividade física e consultas regulares ao pediatra.

Fundamental é na infância, período chave, que se estabeleçam hábitos alimentares e estilo de vida saudável que são preditivos para a vida adulta.

E aí, como estão os hábitos alimentares e estilo de vida das crianças que convivem com você?”

Menos videogame, mais esportes!
Menos videogame, mais esportes!

Não podemos deixar este assunto de lado. Uma escapadinha de vez em quando, numa festa ou evento, pode ser considerada normal, mas temos que ter muito cuidado para as crianças não ficarem viciadas em doces e alimentos industrializados. E ainda: é nossa função, como pais, propiciar um ambiente onde o esporte faça parte da rotina, de uma forma lúdica e agradável! O mais importante é o exemplo e a união. A certeza é que toda a família se beneficia na melhoria dos hábitos alimentares e abandono do sedentarismo.

Consultoria e agradecimentos: Dra Fabiane Berruezo Barbosa, cardiologista pediátrica (instagram: @cardiopediatrasp)
Imagens: Internet

Leia também:
Dicas para fazer uma lancheira saudável
– Natação como atividade física infantil
– Como escolher o pediatra

Anúncios

5 comentários sobre “As crianças e a obesidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s