Pets + crianças = sim ou não?

Finalmente adotamos nosso primeiro pet! Aproveitamos então para conversar com a cardiologista pediátrica, Dra Fabiane Berruezo Barbosa, para analisar os prós e contras e ajudar quem está indeciso.

Toddynho chegou! As crianças adoraram!
Toddynho chegou aqui em casa! As crianças adoraram! 🙂

“Alguns pontos podem ser negativos E positivos”, explica a Dra Fabiane. Ela explica: “É preciso ter responsabilidade. Num aspecto negativo, os animais são inteiramente dependentes, tanto para se alimentarem, como para qualquer outra necessidade.”

E o aspecto positivo da responsabilidade? “Bem, os animais ensinam as crianças a terem responsabilidades rotineiras, o que é muito válido para seu crescimento”, complementa a Dra. Aqui em casa, tem funcionado: as crianças sempre verificam ração e água, ajudando bastante! Mas a parte de limpar a caixinha de areia, não tem jeito, sobra para os pais…

Alguns cães são ferozes, podem necessitar treinamento.
Alguns cães são ferozes, podem necessitar treinamento.

“Outro ponto a ser observado é o tempo, se você tem uma vida corrida, agitada e quase sempre fora de casa, fica difícil ter um cão ou gato, mas no caso de um peixe ou uma tartaruga é diferente.” A Dra explica que a escolha do tipo de animal de estimação pode fazer diferença. Menos trabalho, menos interação… mas nem por isso, menos amor!

É muito provável que seus filhos sejam mordidos. A maioria das mordeduras de cães acontece em crianças menores de 12 anos, pois elas apresentam maior dificuldade de interação da maneira correta, principalmente com cães e gatos” – e isto é verdade! Não podemos nos esquecer de que os animais são animais, devem ser respeitados, e às vezes as crianças não sabem pegá-los ou mesmo brincar de forma adequada. Aqui em casa, temos uma Felícia, que aos poucos está aprendendo a brincar com nosso gatinho! Mas ela tem colecionado vários arranhões…

Um ponto negativo e muito importante: as férias! “Durante as férias, você vai ter que se preocupar em deixar seu animal de estimação com alguém, ou um hotel para animais”, diz a Dra. Fabiane.

Além disso, é necessário que sua casa tenha espaço para o tipo de animal de estimação que escolher. Não se esqueça, algumas raças de cães precisam de espaço. Se morar em prédio, verifique a norma do condomínio. No caso de gatos, o local precisa ser totalmente isolado da rua.

Tem que ter espaço para os novos habitantes!
Tem que ter espaço para os novos habitantes!

E um ponto crucial: o custo! “O custo pode ser alto, castração, vacinação, ração, veterinário, higiene, brinquedos…” A Dra. tem razão, e este mercado é bastante tentador, a cada dia inventam novidades para agradarmos nossos bichinhos!

Mas a Dra. Fabiane enumera vários itens positivos: “Os animais nos fazem companhia. Nos dias de hoje em que muitas famílias optam por ter um único filho, os animais ajudam a diminuir o sentimento de solidão”. E como eles nos fazem companhia! Com sua fofura inocente, alegram o nosso dia!

Ele não para quieto!
Ele não para quieto!

Outro aspecto, alguns animais, como os gatos, são excelentes caçadores! E os cães, podem oferecer muita proteção à casa.

Você sabia que ter um animal diminui o risco de depressão? “É verdade. Vários estudos já provaram o risco mais baixo de depressão em lares com animais”.

Existem outros benefícios médicos? “Sim” – diz a Dra. Fabiane – “Tirando as crianças que apresentam alergias específica a pelos de certos animais, sabemos que ter um cão ou gato antes de um ano de idade reduz pela metade o risco de uma criança desenvolver alergias“.

E sob o aspecto psicológico? Meu filho, de 8 anos, tinha verdadeiro pânico de animais de estimação. Por isso mesmo, quisemos adotar um. Hoje em dia, ele se sente muito mais seguro. A Dra. Fabiane explica “Sim, eles aprendem a entender os animais, se colocar no lugar deles. Outra vantagem: aprender a lidar com a morte. As crianças que têm animais de estimação aprendem mais facilmente a lidar com perdas e a morte desse animalzinho que passara’ a fazer parte da família” – finaliza.

E você, consegue pesar os prós e contras? Aqui em casa, valeu muito a pena! Boa sorte!

Agradecimentos: Dra Fabiane Berruezo Barbosa, cardiologista pediátrica (instagram: @cardiopediatrasp)
Imagens: internet / arquivo pessoal

Anúncios

2 comentários sobre “Pets + crianças = sim ou não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s